terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Ano Novo, você está nas minhas mãos

Em todo lugar as pessoas perguntam quais são suas resoluções de começo de ano, e... eu não fiz nenhuma. Não fiz porque querendo ou não, seja em janeiro ou em dezembro, minha vida vai mudar. A Aurora já começou na escolinha nova, e não está sendo o mar de alegria que achei que seria, mesmo porque a empolgação prévia dela não condisse com a realidade. Mas é normal, não foi nada desesperador (mesmo porque, um dia antes, conversando com ela sobre o que não deve fazer na escola, como morder, beslicar e bater, ela abriu o bocão. Sabem por que? Porque ela disse que QUERIA morder, beliscar e bater nos coleguinhas¬¬). Eu ri né!?

Aos poucos estou perdendo meus muitos quilos extras, eu vou mudar de casa para uma onde será somente eu e minha filha, vou concluir a pós-graduação e quem sabe arranjarei um outro trabalho totalmente diferente do que tenho hoje. Eu não quero mais que isso. Sou geminiana, e adoro mudanças, mas mais mudança que isso só se eu mudar de sexo (e isso não está nos meus planos).

Eu só vou tentar ser mais paciente, menos curiosa (porque isso FODE minha vida), ter menos preguiça pra poder curtir mais meus dias e ser mais relax com tudo. Eu queria ser daquelas pessoas que tá com nome sujo em tudo quanto é lugar e sai contente e feliz pra fazer compras. Não que eu queira fazer isso, porque oi? futilidade não é meu nome, mas o meu rigor com certos assuntos me deixa estressadíssima. Delinear meus pensamentos por caminhos menos tortuosos também é uma meta urgente e dificílima que quero cumprir, mas... paciência. Tenho mmmuita terapia ainda pra fazer.

2 comentários:

Nandinha... disse...

Achei seu blog por acaso... sua filha dizendo que queria morder e beliscar me lembrou minha irmazinha de 4 anos...

e me faz pensar em como será com o meu filho nessa fase... bjus

gabrielgape disse...

Estava procurando um blog com o tema pensar e encontrei o seu. Gostei das suas postagens, são divertidas. Vou te seguir!
Bom, se quiser dar uma passadinha nos meus escritos "esquisitos",eu ficaria muito honrado.
Gabriel Gape